Notícias

Asset

3º Seminário Cultura do Acesso discute acessibilidade como política institucional em mesa de abertura

A abertura recebe o secretário da Cultura do Ceará, Fabiano Piúba, e convidados como Eduardo Saron, Danilo Miranda e Luisa Cela. O encontro será transmitido às 18h no Youtube da Secult Ceará

Refletir sobre a acessibilidade na formação artística e no consumo cultural é propósito fundamental para o Seminário Cultura do Acesso, que realiza sua 3ª edição em 2022. Entre os dias 4 e 9 de abril, o evento contempla atividades virtuais e presenciais, entre elas mesas, painéis e oficinas, além de apresentações artísticas de música e dança. Nesta segunda-feira (4), o secretário da Cultura do Ceará, Fabiano Piúba, realiza sua fala oficial de abertura da programação, seguido da mesa “Acessibilidade como política institucional”. A transmissão ocorre através do Youtube da Secult Ceará, a partir das 18h.

A mesa reúne os convidados Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural, e Danilo Miranda, diretor do Serviço Social do Comércio (Sesc/SP), organizações que são referência na prática de acessibilidade em seus editais e ações. O encontro também conta com a presença da gestora cultural, Luisa Cela, e mediação da consultora em acessibilidade e curadora do evento, Daina Leyton.

Como espaço para fomentar o debate acerca da cultura de acessibilidade e o acesso à produção cultural local, o Cultura do Acesso também promove o lançamento da “Cartilha de Formação em Acessibilidade Atitudinal”, na quarta-feira (6/4) às 16h no Centro Cultural Porto Dragão. Representantes da Secult Ceará, da Biblioteca Estadual do Ceará (BECE) e do Centro Cultural Bom Jardim (CCBJ) participam de bate papo sobre sua construção e a importância da utilização pelos equipamentos e produtores. As inscrições seguem abertas através da plataforma Sympla.

Em eventos presenciais, é necessário apresentação do comprovante de vacinação contra a Covid-19 e o uso de máscara. O limite de pessoas varia de acordo com a capacidade do equipamento e as normas sanitárias vigentes. 

Com o tema “Acessibilidade e Cultura – Entre o Direito e o Acesso”, o 3º Seminário Cultura do Acesso faz parte do programa Percursos (In)Formativos, agenda da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), através da Coordenadoria de Artes e Cidadania Cultural e do GT de Acessibilidade Cultural, e conta com articulação da Rede Pública de Equipamentos Culturais.

AGENDA FORMATIVA

Além das discussões que acontecem nas mesas e painéis do evento, a programação visa promover a produção e difusão de conhecimento através da realização de oficinas abertas ao público, em formato virtual e presencial. Para garantir a participação, é necessário se inscrever em sympla.com.br/percursosinformativos.

Na terça-feira (5), das 10h às 12h, na oficina “Programação, música e arte”, o facilitador Paulo Victor Loureiro propõe a criação de games e aplicativos que usem a música e a arte para proporcionar acessibilidade. A oficina se dará de forma virtual por meio de videoconferência, expositiva e dialógica.

Já na quarta (6), a oficina “Festejos Populares Acessíveis” conta com a presença de André Ramos, saxofonista, arranjador e compositor da Orquestra Voadora (RJ). A oficina abordará a formação do núcleo de acessibilidade do grupo, que desde 2018 atua concepção de espetáculos de rua no Rio de Janeiro e em São Paulo. O encontro também acontece em plataforma online, a partir das 10h.

Na quinta (7), o Centro Cultural Porto Dragão recebe a atriz e diretora Aline Gomes (RJ) para a realização da oficina presencial “Acessibilidade cultural e o teatro”, que tem como objetivo abordar as diversas formas de tornar o teatro acessível às pessoas com deficiência, criando condições para a fruição sensorial de espetáculos teatrais.

Na sexta (8), o artista, educador e produtor cultural Leo Castilho (SP) ministra a oficina “Festas Multissensoriais”, visando promover experimentação, reflexão, conhecimento e um contato multissensorial como olfato, paladar, tato, visual e audição. A formação ocorre presencialmente no Teatro B. de Paiva, no Centro Cultural Porto Dragão.

Por fim, no sábado (9), serão realizadas duas oficinas presenciais. Às 10h, Camila Delfino e Amanda Lioli ministram a oficina “Brincadeiras e narração de histórias como metodologia” na Biblioteca Pública Estadual do Ceará (BECE), buscando trabalhar as possibilidades que a brincadeira e o pensamento criativo das narrativas tradicionais abrem enquanto aprendizagem de conteúdos específicos. 

Já no Centro Cultural Porto Dragão, às 13h, a oficina “Desenvolvimento de Modelagem Acessível em Malharia” recebe a facilitadora Fabíola Mourão para repassar metodologias para o segmento de moda acessível, utilizando aviamentos e acabamentos que melhorem o design, a usabilidade e a autonomia.

A programação completa do 3º Seminário Cultura do Acesso pode ser conferida no Instagram @percursosinformativos e no site www.percursosinformativos.com.br 

SERVIÇO

Abertura do 3º Seminário Cultura do Acesso

4 de abril, segunda-feira, das 18h às 20h

Evento híbrido, com programação virtual e presencial

Transmissão no canal da Secult Ceará no Youtube

Inscrições em oficinas em www.sympla.com.br/percursosinformativosMais informações em @percursosinformativos no Instagram e no site www.percursosinformativos.com.br

cultura do acesso

De 4 a 9 de abril, mesas, painéis e oficinas formam a programação do 3º Seminário Cultura do Acesso com formato híbrido

Realizado pela Secult Ceará, o evento faz parte do programa “Percursos (In)formativos” e, desde janeiro, realiza atividades voltadas para a reflexão sobre a acessibilidade na formação artística e no consumo cultural

Com o objetivo de sensibilizar, alinhar e aproximar as pessoas da importância e urgência de pensar a Acessibilidade como parte fundamental do nosso cotidiano, o 3º Seminário Cultura do Acesso realiza a terceira e última etapa de sua programação entre os dias 4 e 9 de abril. Com o tema “Acessibilidade e Cultura – Entre o Direito e o Acesso”, o evento oferece uma programação híbrida, contemplando atividades virtuais e presenciais, entre elas mesas, painéis e oficinas, além de apresentações artísticas de música e dança.

As oficinas e os encontros presenciais exigem inscrição prévia realizada em sympla.com.br/percursosinformativos. Já as mesas e painéis serão transmitidos ao vivo através do canal da Secult Ceará no Youtube.

Iniciando a programação, uma mesa de abertura “Acessibilidade como política institucional” tem como convidados Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural e Danilo Miranda, diretor do Serviço Social do Comércio (Sesc/SP), duas organizações que são referência na prática de Acessibilidade em seus editais e ações. O encontro que ocorre nesta segunda-feira (04/4) às 18h no Youtube da Secult contará ainda com a participação da secretária executiva da Cultura, Luisa Cela e mediação da consultora em acessibilidade e curadora do evento, Daina Leyton. O secretário da Cultura do Ceará, Fabiano Piúba, terá sua fala oficial antes do início da mesa de abertura.

“O Seminário Cultura do Acesso é uma culminância de debates, pesquisa e experimentações artísticas realizadas no âmbito da acessibilidade, com o protagonismo do GT em Acessibilidade Cultural e participação de servidores, gestores culturais, instituições e demais agentes. É de fato um percurso de entendimento e ampliação da percepção geral dos agentes culturais sobre o que é acessibilidade cultural e como podemos desenvolvê-la e ampliá-la em nossos projetos e ações”, comenta a coordenadora da de Artes e Cidadania Cultural (CODAC) da Secult Ceará.

Em janeiro, o evento realizou um ciclo de palestras sobre temas como direito à comunicação, acessibilidade estética e poética, cultura material e acessibilidade arquitetônica, produção cultural e cultura Def no Ceará. No mês de fevereiro, a programação foi marcada pelos encontros dos GTs sobre acessibilidade cultural com a Rede de Pública de Equipamentos da Secult Ceará, com museus, bibliotecas, espaços cênicos e centros culturais.

O 3º Seminário Cultura do Acesso faz parte do programa de formação modular Percursos (In)Formativos, agenda da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), através da Coordenadoria de Artes e Cidadania Cultural e do GT de Acessibilidade Cultural e conta com articulação da Rede Pública de Equipamentos Culturais.

PROGRAMAÇÃO

Abrindo o Seminário, na segunda-feira (4), das 18h às 20h, o Secretário de Cultura do Estado do Ceará, Fabiano Piúba, apresenta a Mesa “Acessibilidade como política institucional”, Com Danilo Miranda (SP), Eduardo Saron (SP) e Luisa Cela (CE).

Na terça-feira (5), das 10h às 12h, será realizada a oficina virtual “Programação, Música e Arte”, com Paulo Victor Loureiro. Já na quarta-feira (6), a oficina virtual “Festejos Populares Acessíveis” recebe André Ramos, da Orquestra Voadora, também a partir das 10h. No mesmo dia, das 18h às 20h, os convidados Ed Borges, Tamara Lopes, Edu O e Fabiano Veríssimo se reúnem no Teatro B. de Paiva, no Centro Cultural Porto Dragão, para a mesa “Formação e difusão: A acessibilidade como uma premissa que envolve todos os trabalhadores da cultura”, com mediação de Ernesto Gadelha.

Na quinta-feira (7), Aline Gomes realiza a oficina virtual “Acessibilidade cultural e o teatro”, das 10h às 12h. O painel “Espetáculos acessíveis em LIBRAS: a língua de sinais e seu potencial performático” acontece às 18h e conta com a presença de Fábio Sá, Surddy e Gracy Kely, além da mediação de Daniel Almeida no Porto Dragão.

Na sexta-feira (8), das 10h às 12h, é ofertada a oficina presencial “Festas Multissensoriais”, com Leo Castilho. Já às 15h, será transmitido o painel “Além do que se vê”, com Danielle França, Georgea Fernanda Rodrigues e Bell Machado, e mediação de Gislana Vale no Youtube da Secult Ceará.

Às 18h, o Teatro B. de Paiva no Porto Dragão recebe a mesa “Educação museal e Acessibilidade” e seus convidados Edinho Santos, Lara Lima e Amanda Paschoal. A mediação fica por conta de Carlos Viana e a audiodescrição de Paulo W. Lima. Por fim, João Paulo Lima apresenta o espetáculo “Devotees”, a partir das 20h no mesmo local.

No sábado (9), a programação tem início com o debate presencial “Acessibilidade e Moda”, com Araguacy Filgueiras, Fabíola Mourão e Leandrinha Du’art, das 9h30 às 11h30 no Centro Cultural Porto Dragão. A oficina “Brincadeiras e narração de histórias como metodologia”, com Camila Delfino e Amanda Lioli acontece de 10h às 12h na Biblioteca Pública Estadual do Ceará (BECE) e a oficina “Desenvolvimento de Modelagem Acessível em Malharia”, com Fabíola Mourão, acontece no Porto Dragão das 13h às 16h.

A partir das 16h, o painel “Acessibilidade estética: a acessibilidade como criação poética” ocorre em duas fases: exibição de vídeos de artistas e um debate ao vivo com Estela Lapponi, Leo Castilho, Camila Alves, João Paulo Lima, Nádia Sousa e Andréia Pires, e mediação de Ivan Ferraro. O evento encerra com a apresentação do cantor Assun, às 20h, no Porto Dragão.

PERCURSOS (IN)FORMATIVOS

O Percursos (In)Formativos é uma agenda de formação da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult Ceará) que, desde 2021, tem como objetivo ampliar e aprofundar junto a servidores, gestores culturais da Rede de Equipamentos, agentes culturais e artistas, temáticas voltadas para uma maior inclusão e consolidação de políticas afirmativas. Além disso, possibilitar maior entendimento e formação acerca dos temas abordados, propiciar melhor atendimento das demandas deste público e promover a produção e difusão de conhecimento gerado sobre o campo artístico-cultural.

Mais informações podem ser conferidas no Instagram @percursosinformativos e no site www.percursosinformativos.com.br

SERVIÇO

3º Seminário Cultura do Acesso
04 a 09 de abril
Evento híbrido, com programação virtual e presencial
Transmissão no canal da Secult Ceará no Youtube
Inscrições em oficinas em www.sympla.com.br/percursosinformativos
Mais informações em @percursosinformativos no Instagram e no site www.percursosinformativos.com.br

ca BANNER 100X180CM e1648556987553

Confira a programação de abril do 3º Seminário Cultura do Acesso

04/04, segunda-feira, 18h às 20h
Mesa de abertura “Acessibilidade como política institucional”
Com Fabiano Piúba, Danilo Miranda (SP), Eduardo Saron (SP) e Luisa Cela (CE)
Mediação de Daina Leyton
No Youtube da Secult Ceará

04 a 09/04, 18h às 21h
Curso “Fundamentos da Cozinha”
Na Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco
Exclusivo para pessoas surdas
Carga horária de 20h
Inscrições encerradas

05/04, terça-feira, 10h às 12h
Oficina “Programação, Música e Arte”
Com Paulo Victor Loureiro (CE)
Evento virtual via Sympla
Inscrições em sympla.com.br/percursosinformativos

06/04, quarta feira, 10h às 12h
Oficina “Festejos Populares Acessíveis”
Com André Ramos da Orquestra Voadora (RJ)
Evento virtual via Sympla
Inscrições em www.sympla.com.br/percursosinformativos

06/04, quarta-feira, 16h às 17h30
Lançamento Cartilha de Formação em Acessibilidade Atitudinal
Cartilha em formato digital com bate papo sobre sua construção e a importância da utilização pelos equipamentos e produtores
Joaquim Araújo, Marcos Levi e João Paulo Lima – CCBJ
Luisa Cela e Valéria Cordeiro – SECULT
Suzete Nunes – BECE
Thamyle Vieira – BECE / GT de Acessibilidade SECULT
no Centro Cultural Porto Dragão

06/04, quarta feira, 18h às 20h
Mesa “Formação e difusão: A acessibilidade como uma premissa que envolve todos os trabalhadores da cultura”
Com Ed. Borges (CE), Tamara Lopes (CE), Fabiano Veríssimo (CE) e João Paulo Lima (CE)
Mediação de Ernesto Gadelha (CE)
No Teatro B. de Paiva/Centro Cultural Porto Dragão (com transmissão pelo YouTube da Secult)
Inscrições em sympla.com.br/percursosinformativos

07/04, quinta-feira, 10h às 12h
Oficina “Acessibilidade cultural e o teatro”
Com Aline Gomes (RJ)
no Centro Cultural Porto Dragão
Inscrições em sympla.com.br/percursosinformativos

07/04, quinta-feira, 18h às 20h
Painel “Espetáculos acessíveis em LIBRAS: a língua de sinais e seu potencial performático”
Com Leo Castilho (SP), Surddy (PE) e Gracy Kelly (CE)
Mediação de Daniel Almeida (CE)
No Teatro B. de Paiva/Centro Cultural Porto Dragão (Com transmissão pelo YouTube da Secult Ceará)
Inscrições em sympla.com.br/percursosinformativos

08/04, sexta-feira, 10h às 12h
Oficina “Festas Multissensoriais”
Com Leo Castilho (SP)
No Centro Cultural Porto Dragão
Inscrições em sympla.com.br/percursosinformativos

08/04, sexta-feira, 15h às 17h
Painel “Além do que se vê”
Com Danielle França (PE), Georgea Fernanda Rodrigues (RJ) e Bell Machado (SP)
Mediação de Gislana Vale (CE)
No Youtube da Secult Ceará

08/04, sexta-feira, 18h às 20h
Mesa “Educação museal e Acessibilidade”
Com Edinho Santos (SP), Lara Lima (CE), Amanda Paschoal (DF) e Carlos Viana (CE).
Mediação de Daina Leyton (SP)
No Teatro B. de Paiva/Centro Cultural Porto Dragão (Com transmissão pelo YouTube da Secult)
Inscrições em sympla.com.br/percursosinformativos

08/04, sexta-feira, 20h às 21h
João Paulo Lima (CE) em “Devotees”
No Teatro B. de Paiva/Centro Cultural Porto Dragão

09/04, sábado, 9h30 às 11h30
Bate Papo “Acessibilidade e Moda”
Com Araguacy Filgueiras (CE), Fabíola Mourão (CE) e Leandrinha Du’art (MG)
No Teatro B. de Paiva/Centro Cultural Porto Dragão (Com transmissão pelo YouTube da Secult)
Inscrições em sympla.com.br/percursosinformativos

09/04, sábado, 10h às 12h
Oficina “Brincadeiras e narração de histórias como metodologia”
Com Camila Delfino e Amanda Lioli
Na Biblioteca Pública Estadual do Ceará (BECE)
Inscrições em sympla.com.br/percursosinformativos

09/04, sábado, 13h às 16h
Oficina “Desenvolvimento de Modelagem Acessível em Malharia”
com Fabíola Mourão (CE)
No Centro Cultural Porto Dragão
Inscrições em sympla.com.br/percursosinformativos

09/04, sábado, 16h às 17h
Painel “Acessibilidade estética: a acessibilidade como criação poética”
Exibição de vídeos de Ariel Goldenberg (SP), Marcos Abranches (SP), Clarissa Costa (CE), Alexandre Américo e Giradança (RN), Amanda Lioli (SP) e Camila Delfino (SP)
No Youtube da Secult Ceará

09/04, sábado, 17h30 às 19h30
Painel “Acessibilidade estética: a acessibilidade como criação poética”
Debate com Estela Lapponi (SP), Leo Castilho (SP), João Paulo Lima (CE), Nádia Sousa (CE) e Andréia Pires (CE)
Mediação de Ivan Ferraro (CE)
No Teatro B. de Paiva/Centro Cultural Porto Dragão (Com transmissão pelo YouTube da Secult)
Inscrições em sympla.com.br/percursosinformativos

09/04, sábado, 20h às 21h
Apresentação de Assun (CE)
Praça das Artes/Centro Cultural Porto Dragão

Debatendo Acessibilidade

Debatendo acessibilidade nos equipamentos, 3º Seminário Cultura do Acesso encerra etapa de GTs

Foto: Felipe Abud/Secult CE. Descrição: A foto mostra os participantes do seminário sentados em cadeiras olhando para a palestrante: educadora museal Daina Leyton.

Debatendo acessibilidade. O Seminário Cultura do Acesso – em sua 3ª edição realizada pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará – encerrou mais uma etapa, com a última reunião de um Grupo de Trabalho (GT) interno, nesta quarta-feira, 10/2, na Biblioteca Pública Estadual do Ceará (Bece), para tratar da acessibilidade nos espaços cênicos e centros culturais. Estiveram presentes profissionais, gestores de equipamentos da Secult Ceará e membros do GT de Acessibilidade Cultural da Secult. Participaram como convidadas a educadora museal Daina Leyton e a produtora cultural Raissa Couto.  A atividade contou com a presença da secretária executiva da Cultura do Ceará, Luisa Cela; da coordenadora de Arte e Cidadania da Secult Ceará, Valéria Cordeiro; do diretor do Theatro José de Alencar, Pedro Domingues; e do assessor de acessibilidade do Centro Cultural Bom Jardim, João Paulo Lima, que participou de forma remota. Desde terça-feira, 8/2, o seminário vem realizando os GTs com foco em acessibilidade nos equipamentos culturais.

“Essa é uma área que sempre surpreende com delicadezas, com formas de falar e se auto descrever. São coisas que vão sendo incorporadas nos nossos equipamentos. Tivemos momentos de troca e de ampliar nosso conhecimento sobre o tema. Sabemos que existe questões que dependem de maior porte para implantar de fato acessibilidade nos equipamentos e isso precisa ser mapeado e entrar em pauta. A dimensão da acessibilidade precisa entrar no nosso orçamento e pensamento para garantir o acesso de todos. Essa é uma diretriz da Secult e que todos devem seguir”, destacou a secretária executiva da Cultura do Ceará, Luisa Cela, durante sua fala na abertura.

2 3 1 e1644531378441 768x1152 1

Foto: Felipe Abud/Secult CE. Descrição: Foto na vertical em âgulo fechado na secretária Luisa Cela. Ela movimenta as mãos enquanto fala com o público.  

Representando o GT de Acessibilidade Cultural da Secult Ceará, Thamyle Vieira falou sobre o processo que vem sendo construído. “É muito gratificante contar com vocês para se juntar a essa luta da acessibilidade dentro da cultura. Que possamos pensar juntos. No GT viemos trabalhando desde 2016 e chegar hoje nos faz perceber o fruto do trabalho. Percebemos o quanto temos força. Hoje pra gente o caminho é mais possível e, quando juntamos outros equipamentos para trilhar esse caminho, nos aquece o coração. Temos a possibilidade de ter um plano de Acessibilidade Cultural no futuro para ninguém botar defeito”, ressaltou.

3 3 1 768x512 1

Foto: Felipe Abud/Secult CE. Descrição: A foto mostra os participantes de costas acompanhando o seminário. O foco é em Daina Leyton, à direita, que faz um sinal com uma das mãos levantadas se apresentando em Libras.

O assessor em acessibilidade do Centro Cultural Bom Jardim (CCBJ), João Paulo Lima, acrescentou seus desafios para tornar o espaço cada vez mais acessível. “Para mim o grande desafio tem sido a formação para quem chega para trabalhar no Centro Cultural. Percebemos nossa mudança de atitude diante das pessoas com deficiência. O CCBJ passou por uma mudança de ter pessoas com deficiência na gerência e isso têm sido crucial nas mudanças de relações. Precisamos sensibilizar para acionar um anticapacitismo natural”, acrescentou.

A produtora cultural convidada Raissa Couto falou sobre sua experiência em trabalhar com a acessibilidade em eventos. “Sempre pensei na acessibilidade econômica e na sustentabilidade de eventos. Foi durante a experiência que vivi no Rio de Janeiro que mudei minha percepção. Havia um evento que ficava do lado do Instituto Benjamin Constant, que trabalha com ensino para deficientes visuais. E lá precisei fazer a acessibilidade. Não sabemos o que era acessibilidade e fizemos piso tátil de papelão, fomos nos dedicando. E foi um sucesso. Isso foi marcante, fizemos como achava que devia, mas as pessoas estavam se encontrando ali e percebi que precisamos nos encontrar para fazer acessibilidade. Comecei a desconstruir tudo que pensava sobre cultura”, comentou.

4 3 1 768x512 1

Foto: Felipe Abud/Secult CE. Descrição: foto de Raissa Couto, enquanto fala para o público, com banner do seminário ao fundo.

Saiba mais

O Seminário Cultura do Acesso é uma agenda do programa de formação modular Percursos (In)Formativos que consiste em encontros que visam apresentar ideias e discutir informações que ajudem a pensar e elaborar políticas públicas estruturais de acessibilidade no âmbito da Cultura. Escutar, pesquisar, estudar, debater é, portanto, um princípio fundamental para esta jornada.

Fonte: (link do site da secult)

3º Seminário Cultura do Acesso

Acessibilidade nas bibliotecas é tema de debate no 3º Seminário Cultura do Acesso

Foto: Felipe Abud. Descrição da Foto: Na sala multiuso da Biblioteca Pública Estadual do Ceará, a secretária executiva da Cultura do Ceará, Luisa Cela, aparece em primeiro plano do lado direito da foto em um movimento de fala gesticulando as mãos, enquanto a coordenadora de Artes e Cidadania da Secult, Valéria Cordeiro, está do lado direto. Ao fundo está um banner fixado do 3º Seminário Cultura do Acesso.

O Seminário Cultura do Acesso – em sua 3ª edição realizada pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult Ceará) – reuniu mais um Grupo de Trabalho (GT) interno, nesta quarta-feira, 9/2, na Biblioteca Pública Estadual do Ceará (Bece), para tratar da acessibilidade nas bibliotecas. Estiveram presentes profissionais, gestores de equipamentos da Secult Ceará e membros do GT de Acessibilidade Cultural da Secult. O momento contou com a mediação da educadora museal Daina Leyton e da professora Carla Mauch, além da presença da secretária executiva da Cultura do Ceará, Luisa Cela; da coordenadora de Arte e Cidadania da Secult Ceará, Valéria Cordeiro; da diretora da Bece, Enide Vidal; e da gestora executiva da Bece, Suzete Nunes. Após trazer reflexões sobre os espaços museológicos, o seminário continua até amanhã (10/2), com foco na acessibilidade em espaços cênicos e centros culturais.

O Seminário Cultura do Acesso é uma agenda do programa de formação modular Percursos (In)Formativos que consiste em encontros que visam apresentar ideias e discutir informações que ajudem a pensar e elaborar políticas públicas estruturais de acessibilidade no âmbito da Cultura. Escutar, pesquisar, estudar, debater é, portanto, um princípio fundamental para esta jornada.

“Em parceria com três coordenadorias da Secult, a de Patrimônio e Memória (COPAM), Conhecimento e Formação (CCFOR) e Artes e Cidadania (CODAC), a gente tem realizado o programa Percursos (In)Formativos, o qual o Seminário Cultura do Acesso se insere. Também teremos os Colóquios Arte, Cultura e Pensamento e o Webinário Étnico Racial. Essas pautas fazem parte de um compromisso assumido pela Secretaria para o avanço e aprofundamento das discussões sobre os temas que possam ser compartilhadas para a gente a adotar no desenvolvimento das políticas e ações. O Seminário Cultura do Acesso já é uma programação ativa da Secult, e é um momento rico de trocas que devem acontecer em todos nossos dias de trabalho, inclusive com o Grupo de Trabalho de Acessibilidade Cultural, instituído em 2016 no âmbito da Secult. Esse momento é muito importante para estimularmos a troca entre a rede de equipamentos, no compartilhamento de soluções e tecnologias voltadas ao tema”, destacou, na ocasião, a secretária Luisa Cela, destacando também que a acessibilidade é uma diretriz da política pública de cultura.

20220209151830 IMG 1906 768x512 1

Foto: Felipe Abud. Descrição da foto: A foto mostra a cena do encontro. As pessoas sentadas em cadeiras, formando um meio círculo em torno da pessoa que está falando ao fundo da imagem, a secretária executiva da Cultura do Ceará, Luisa Cela. 

Biblioteca, cultura e acessibilidade

A Biblioteca Pública do Estado do Ceará (Bece) é referência em acessibilidade com seu Setor Braille inaugurado em 1979, como destacou a diretora do equipamento, Enide Vidal. “O setor surgiu a partir de um funcionário da biblioteca que tinha necessidade dessa leitura e a partir disso plantamos uma semente. Com a recente modernização, a biblioteca está bem equipada com scanner e máquinas atualizadas. Para nós isso é muito importante”, ressaltou.

A gestora executiva da Bece, Suzete Nunes, afirmou que a diretriz da Bece, enquanto equipamento cultural público, é pautada na acessibilidade. “A modernização da biblioteca impulsionou os objetivos de atender a todos. Temos feito uma programação cada vez mais acessível, em diálogo com artistas e técnicos”, pontuou a gestora.

20220209153647 IMG 1957 768x512 1

Foto: Felipe Abud. Descrição da foto: A foto mostra a cena do encontro. Em primeiro plano à esquerda está uma pessoa de costas em cadeira de rodas, que acompanha a programação. Ao fundo, se encontra a coordenadora de Artes e Cidadania da Secult, Valéria Cordeiro, e o banner do seminário. 

Em sua fala de abertura, por sua vez, Lara Lima, que integra o GT de Acessibilidade Cultural da Secult Ceará e trabalha no Museu da Cultura Cearense, destacou que incluir a acessibilidade nos equipamentos é um processo em andamento. “Desde 2016 no GT, temos conseguido desenvolver algumas coisas interessantes, como o próprio seminário. Brinco que a acessibilidade cultural é um trabalho de formiguinha. É muito bom ver nosso trabalho reconhecido e nosso maior intuito é transformar a acessibilidade em uma pauta transversal. É muito bom ver que as coisas estão evoluindo”, comentou.

20220209154029 IMG 1958 600x400 1

Foto: Felipe Abud. Descrição da foto: A foto traz a educadora museal Daina Leyton, enquanto fala para o público do seminário.

O diálogo entre cultura e acessibilidade foi destacado pela educadora Daina Leyton como um caminho necessário para se pensar mundos ideais possíveis. “Depois de trabalhar muito tempo com acessibilidade, penso que não se pode promover um acesso somente a um mundo que está aí, mas devemos pensar em uma acessibilidade para o que a gente quer que exista”, frisou.

Já a professora Carla Mauch fez um resgate histórico da acessibilidade como um direito e um dever. “A biblioteca até pouco tempo não era muito o lugar do público com deficiência. Temos um público cego que lutou muito para a garantia do acesso à leitura. A gente se esquece às vezes que tudo é um processo. Estamos sempre aprendendo”, acrescentou.

Fonte: (link do site da secult)

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support